Início do conteúdo

Web Content Accessibility Guidelines – WCAG 2.1


WCAG 2.1 Web Content Accessibility Guidelines

O documento da WCAG consiste de um conjunto de recomendações de acessibilidade que foram desenvolvidas pelo consórcio W3C – World Wide Web, através do WAI (Iniciativa de Acessibilidade na Web), em colaboração com pessoas e organizações em todo o mundo.

A versão 1.0 da WCAG foi lançada em 5 de maio de 1999, a versão 2.0 em 11 de dezembro de 2008, e a atual versão, a 2.1, foi lançada em 05 de junho de 2018, incluindo práticas importantes que devem ser seguidas para garantir a acessibilidade para conteúdos em dispositivos móveis.

O documento WCAG 2.1, está estruturado em quatro princípios, sendo eles:

  • Princípio: Perceptível – a informação e os componentes da interface do usuário têm de ser apresentados aos usuários em formas que eles possam perceber.
  • 2° Princípio: Operável – Os componentes de interface de usuário e a navegação têm de ser operáveis.
  • 3° Princípio: Compreensível – A informação e a operação da interface de usuário têm de ser compreensíveis.
  • 4° Princípio: Robusto – O conteúdo tem de ser robusto o suficiente para poder ser interpretado de forma concisa por diversos agentes do usuário, incluindo recursos de tecnologia assistiva.

Cada um desses princípios contém recomendações, as recomendações possuem critérios de sucesso que devem ser seguidos. Para seguir os critérios de sucesso, são disponibilizadas técnicas específicas.

Além do documento da WCAG, fazem parte da WAI (iniciativa de Acessibilidade na Web) os seguintes documentos:

  • ATAG – Authoring Tool Accessibility Guidelines: para ferramentas de autoria, editores HTML, content management systems (CMS), blogs, wikis, etc.
  • UAAG – User Agent Accessibility Guidelines: para navegadores Web, media players e outros agentes de usuário.
  • WAI-ARIA – Accessible Rich Internet Applications Suite: aplicações Web ricas e acessíveis (desenvolvidas com Ajax, por exemplo).
Fim do conteúdo