Início do conteúdo

Histórico


2006 a 2012 : Projeto de Acessibilidade Virtual (PAV)

O IFRS conta com um núcleo de acessibilidade desde 2006, quando a Secretaria de Educação Profissional, Científica e Tecnológica do Ministério da Educação (SETEC/MEC) criou um grande Projeto Colaborativo reunindo pesquisadores e alunos bolsistas da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica (EPCT). O objetivo era disponibilizar soluções digitais para a Rede. Para garantir um bom nível de acessibilidade aos artefatos digitais, foi criado o Projeto de Acessibilidade Virtual.


2009 a 2012: Convênio com Ministério do Planejamento – Soluções Acessíveis

Dentre as ações neste convênio estão: a criação da terceira versão das Recomendações Nacionais de Acessibilidade de Sites (eMAG 3.0) e atualização do mesmo (eMAG 3.1), atualizações no ASES (Avaliador e Simulador Automático de Acessibilidade de Sites), produção de Tecnologia Social Assistiva para os Telecentros Brasileiros, cursos online, dentre outros.


2012: Núcleo do Centro de Referência em Tecnologia Assistiva

Em 2012, o IFRS foi um dos escolhidos para compor a rede de Núcleos do Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA), com sede no Centro de Tecnologia de Informação (CTI) Renato Archer, em Campinas, que é uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).


2013: Institucionalização do Projeto de Acessibilidade Virtual (PAV)

No início de 2013, o Projeto de Acessibilidade Virtual foi institucionalizado no IFRS, na Pró-reitoria de Extensão, pela Portaria de número 221 de 06 de fevereiro.


2015: PAV passa a chamar-se Centro Tecnológico de Acessibilidade (CTA)

O PAV passa a ser Centro Tecnológico de Acessibilidade, através da Portaria  nº 1153/2015 e tem sua atuação regulamentada pela Instrução Normativa PROEX nº 10/2015.

Fim do conteúdo