Início do Conteúdo

Notícias

Implementando acessibilidade em conteúdos multimídia

Anderson Dall Agnol e Bruna Salton
Gráficos de botões multimídia de anterior, play, parar, pause e próximo, respectivamente, dispostos horizontalmente.

Atualmente é bastante comum que os profissionais que produzem conteúdos para a web disponibilizem arquivos de áudio ou vídeo, já que esse formato permite oferecer conteúdos mais dinâmicos e atraentes ao público. Exemplos são a utilização desse formato na modalidade de educação a distância, na transmissão de eventos ao vivo, na produção de campanhas publicitárias, na distribuição de entretenimento, dentre outros.

Embora sejam elaborados com o propósito de serem mais atrativos e dinâmicos para aqueles que o recebem, os conteúdos multimídia, na grande maioria das vezes, apresentam barreiras de acessibilidade que dificultam, ou até mesmo impedem o acesso à informação por pessoas com deficiência ou com alguma limitação.

Assim, para que esses conteúdos apresentem bons níveis de acessibilidade é indispensável prestar atenção em alguns detalhes como:

  • Conteúdo somente em áudio: esse conteúdo não é acessível para pessoas com deficiência auditiva. Por isso, precisamos fornecer uma alternativa em texto, chamada de transcrição textual. Se for possível oferecer a informação, também, em Libras (Língua Brasileira de Sinais) aí sim a acessibilidade é garantida! Lembre que muitos surdos têm dificuldade com a Língua Portuguesa, já que sua primeira língua é a Libras.

  • Conteúdo somente em vídeo (sem fala ou narração): esse conteúdo não é acessível a pessoas com deficiência visual. Por isso, precisamos fornecer alternativa em texto ou áudio.

  • Conteúdo de vídeo com áudio: tanto pessoas com deficiência visual quanto auditiva podem encontrar dificuldades de acesso e compreensão desses conteúdos. Precisamos fornecer alternativas como legendas e transcrição textual. Para alguns vídeos, será necessário, ainda, incluir uma faixa de audiodescrição. E a alternativa em Libras é essencial se quisermos garantir um nível ainda melhor de acessibilidade.

Gráfico relacionando tipos diferentes de multimídia, como vídeos com som, sem som, áudio, e o uso de tecnologias assistivas, como libras, textos alternativos, legendas, e alternativas em áudio.

Nunca ouviu falar em transcrição textual, legendas, audiodescrição e alternativa em Libras? Não tem problema! Abaixo é possível conhecer um pouco sobre cada um desses recursos.

Transcrição Textual

Esse recurso é uma alternativa em texto que contém todo o conteúdo de um arquivo de áudio ou vídeo, incluindo tanto as informações contidas na faixa de áudio, quanto as informações visuais transmitidas durante um vídeo. A transcrição textual auxilia a todos, sejam usuários com deficiência visual que não podem enxergar as cenas, pessoas com conexões lentas que não conseguem executar o conteúdo, pessoas com deficiência auditiva ou sem equipamento de som que não podem ouvir o áudio, dentre outras. Nas imagens a seguir temos um vídeo que contém um link para sua versão em texto e um player de áudio com um link para acessar sua transcrição textual.

Exibição de um player de vídeo, sobre o cadastro no sistema Moodle, com um link abaixo, para versão em texto do vídeo.

Exibição de um player de áudio e, abaixo, um link para transcrição textual do mesmo.

Legendas

Em vídeos, é sempre importante fornecer legendas, pois elas são fundamentais para garantir a acessibilidade a pessoas com deficiência auditiva. Legendas são textos sincronizados equivalentes ao conteúdo de áudio que podem ser ativadas para começarem a aparecer (closed caption), estarem sempre visíveis (open caption) ou aparecerem em tempo real (real time caption). Existem ferramentas gratuitas que podem ser utilizadas para legendar vídeos. São alguns exemplos:

  • Amara: É um serviço online, que permite adicionar legendas de maneira rápida e fácil a qualquer vídeo que esteja em um site.  

  • CaptionforYouTube: É um serviço online desenvolvido pelo Google App Engine, que permite adicionar legendas aos vídeos do Youtube. A inscrição no CaptionforYouTube é feita através do site e é possível utilizar uma conta do Google. Para adicionar legendas, você pode fazer o upload de um vídeo que acabou de fazer ou utilizar um que já esteja online no Youtube informando o URL do mesmo.

  • DivXLand Media Subtitler (para Windows). É um software gratuito e pode ser baixado a qualquer momento.

Audiodescrição

A audiodescrição não é a transcrição textual do conteúdo de um vídeo, mas sim uma faixa de áudio que contempla informações que aparecem visualmente, mas não estão presentes nos diálogos ou no áudio do próprio vídeo. Assim, a audiodescrição permite que o usuário tenha acesso a informações visuais que transmitem conteúdo como expressões faciais e corporais, informação sobre o ambiente, efeitos especiais, informações em texto que aparecem no vídeo, etc. A audiodescrição aparece no espaço entre as falas, sem sobrepor o conteúdo em áudio original do vídeo e é realizada por profissionais especializados nessa área.

Para conhecer melhor como funciona esse recurso, seguem alguns exemplos de vídeos com audiodescrição:

Libras

Existem vídeos que possuem um nível de acessibilidade ainda maior, que são aqueles que, além de transcrição textual e legendas, oferecem, ainda, um espaço destinado à versão do vídeo apresentada em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Exibição de um vídeo no site Youtube intitulado 'IFRS Reitoria', apresentando uma legenda e, no canto inferior direito, uma pessoa sinalizando o que é falado em libras.

Ao produzir seu próximo conteúdo multimídia, lembre-se de tomar esses cuidados para garantir que todos possam ter acesso às informações que estão nesse formato.

Para saber mais:
Final do Conteúdo Voltar ao topo
Início do Rodapé Final do Rodapé